Sou liberal mas…

Esteve prevista para Maio a liberalização do domínio .PT, que iria tornar o nosso domínio português igual a tantos outros: numa lógica de “quem chega em último perdeu o lugar” propõe-se que qualquer indivíduo ou organização possa comprar domínios .PT a seu bel-prazer, desde que os mesmos não estejam ocupados. Esta medida insere-se no programa Simplex.

Até aqui, qualquer registo de domínio .PT obriga o interessado a provar deter os direitos do nome que pretende registar. Só empresários em nome individual, sociedades por quotas ou anónimas, associações, ou marcas registadas, têm direito próprio a um domínio .PT.

Continuar a ler

Anúncios

Marcas poderão ser domínios na internet

A ICANN (Internet Corporation for Assigned Names and Numbers) aprovou ontem a criação de novos domínios de internet, oferecendo a possibilidade às marcas de registar os seus nomes como domínios de internet, em vez do habitual .com.

Também as cidades podem personalizar os seus próprios domínios, como por exemplo, .nyc para Nova Iorque. Desta forma, vai ser possível criar domínios com qualquer combinação de letras e números, dentro de certos parâmetros. Estas mudanças devem originar uma nova geração de nomes, como por exemplo a possibilidade da Coca-Cola comprar o domínio .coke, ou a indústria do sexo competir pelo domínio .sex ou .xxx. Segundo a Brand Republic, registar um domínio pode custar entre 60 mil e 300 mil euros. As propostas vão começar a ser aceites a partir de Abril de 2009, para os novos domínios começarem a ser aplicados no final desse mesmo ano. “Esta é a maior mudança para a maneira como as pessoas se encontram na internet desde a sua concepção”, afirmou Paul Twomey, presidente da ICANN.